Endocrinologia

 
A Endocrinologia é uma especialidade médica, que estuda o funcionamento das hormonas no organismo humano.

A especialidade, a nível Europeu é denominada Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo porque o seu âmbito de acção é vasto, ultrapassando o conceito clássico de hormona.
 
 
 
 
 
 

ENDOCRINOLOGIA

 
 
 
 
 

ACORDOS

 
 
 
 
 
 
 

DIABETES

 
 
 
 
 

CONTACTOS

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Glândulas Endócrinas e as Hormonas

 
O sistema endócrino é formado por glândulas ou células, que produzem hormonas que libertam na circulação sanguínea.

A melhor, e a mais simples, maneira de definir uma hormona:
Hormona: Substância química segregada por células vivas em quantidades mínimas transportada normalmente pelo sangue para um local específico de acção (receptor) onde não é usada como fonte de energia mas actua regulando, e não iniciando, reacções, de maneira a produzir uma resposta adequada do organismo.
 
 
 

Sistemas Endócrinos

 
Para se compreender como os sistemas endócrinos estão organizados é importante a aquisição de certos conceitos básicos.*
É necessário definir que tipo de sistema é um determinado sistema endócrino, isto é, se é um sistema aberto ou fechado. Num sistema de ansa aberta a entrada (causa ou estímulo) altera a saída (efeito ou resposta), mas não é alterada por esta. A → B.

Os organismos superiores e os seus componentes, isto é, células e vias metabólicas, funcionam todos como sistemas de ansa fechada (sistema de retrocontrolo). Todo o sistema é uma rede metabólica. A homeostase ao nível da célula e organismo depende fundamentalmente da comunicação entre os componentes: o estímulo leva á resposta, mas a resposta influência por sua vez o estímulo.Quando a comunicação em qualquer das direcções falha resulta doença ou disfunção.
 
 
 
 
 
 

As principais áreas de actuação do especialista, que é denominado de Endocrinologista, são:

 
 
Tiróide e Paratiróide
 
A tiróide é uma pequena glândula endócrina situada na parte anterior do pescoço, cujas secreções controlam o metabolismo orgânico.
De facto, a tiróide é uma glândula muito especial, com uma função extremamente importante, pois os efeitos das suas hormonas afectam todo o organismo, ou seja, tendo em conta que estimulam a combustão celular, activam o metabolismo e a produção de calor. Para além disso, ao longo da infância, as hormonas tiroideias influenciam decisivamente a maturação do sistema nervoso e o crescimento corporal, condicionando o desenvolvimento físico e mental.

A doença mais comum da tiróide é a sua dilatação, pois provoca uma proeminência visível no pescoço, que se denomina de bócio. Todavia, este crescimento excessivo da glândula, com inúmeras causas, nem sempre te repercussões no seu funcionamento, como acontece no bócio simples, sendo por vezes acompanhado por insuficiência na actividade da tiróide. Esta insuficiência pode corresponder a uma produção hormonal deficiente, denominando-se hipotiroidismo, ou a uma produção hormonal excessiva, o que se denomina de hipertiroidismo.
 
 
 
Hipófise
 
A hipófise ou as suas estruturas próximas podem ser local de desenvolvimento de vários tipos de tumores, tanto benignos como malignos. Contudo, os mais frequentes são os tumores benignos que, durante o seu crescimento, apenas provocam problemas devido à compressão dos tecidos saudáveis adjacentes, já que não os invadem nem têm tendência para se propagarem a distância.
Entre os mais importantes, pela sua frequência e repercussões, destacam-se os adenomas, que representam cerca de 10% dos tumores intracranianos. Trata-se de formações benignas de tecido glandular e muitas vezes segregam hormonas que, em condições normais, são elaboradas pelas células das quais são provenientes, normalmente em quantidades irregulares, pois não respondem à regulação normal. Embora possam surgir em qualquer idade, surgem especialmente nos jovens adultos.
Outro tumor relativamente comum é o craniofaringeoma, uma formação próxima da hipófise, originada dos restos embrionários das células que deram origem a glândula (nomeadamente do canal craniofaríngeo). Trata-se de um tumor congénito, presente desde o nascimento, embora também se possa desenvolver muito lentamente, não provocando manifestações até a idade adulta, ou seja, até aos 20-25 anos.
 
 
 
 
 
Suprarrenal
 
Estas glândulas estão localizadas sobre os rins e produzem adrenalina, epinefrina e noradrenalina, que afeta um grande número de funções do organismo. Estas substâncias estimulam a atividade do coração, aumentam a tensão arterial e atuam na contração e dilatação dos vasos sanguíneos e musculatura.

As secreções suprarrenais regulam o equilíbrio de água e sal no organismo, influem na tensão arterial, atuam no sistema linfático, nos mecanismos do sistema imunológico e regulam o metabolismo das proteínas e dos glicídios.

Além disso, as glândulas suprarrenais também produzem pequenas quantidades de hormônios masculinos e femeninos.
 
 
 
Desenvolvimento (crescimento e puberdade)
 
O crescimento normal durante a adolescência inclui a maturação e o aumento do tamanho do corpo. O ritmo e a velocidade destas mudanças variam de pessoa para pessoa e são condicionados por factores hereditários e ambientais.

A maturidade física inicia-se, na actualidade, mais cedo do que há um século, provavelmente devido à melhoria da nutrição, da saúde em geral e das condições de vida. Por exemplo, as raparigas têm a primeira menstruação numa idade consideravelmente inferior à das suas homólogas de há 100 anos. Estudos estatísticos realizados nos Estados Unidos demonstram que a idade da primeira menstruação se adiantou dois meses em cada dez anos e a partir de 1950 se estabilizou.
 
 
 
 
 
 
 
diabetes
 
 
 
obesidade e diabetes
 
 
 
endocrinologia
 
 
 
diabetes endocrinologia